A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) participou de uma Live, nesta quinta-feira (22), para esclarecer as principais dúvidas sobre direitos dos idosos e apresentar o trabalho de atendimento que a instituição oferece para esse público. A iniciativa foi realizada em parceria com a Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade (FUnATI) e faz parte do projeto “Idoso Consciente”, criado pela Defensoria, inicialmente, para promover orientação em vista do aumento do endividamento da população idosa nos últimos meses, mas que foi ampliado para outros temas.

A transmissão foi realizada via Google Meet e se deu por meio de um bate-papo entre os defensores públicos Rodolfo Lôbo, responsável pela Coordenadoria de Projetos e Programas da DPE-AM, Ali Assaad de Oliveira, titular da Defensoria Pública de 1ª Instância Especializada de Atendimento ao Idoso e a presidente do Conselho Estadual do Idoso do Amazonas (CEI-AM), Kennya Brito.

Ao longo de uma hora, eles responderam dúvidas de participantes e falaram sobre conceitos legais, prioridades do idoso, medidas protetivas, alimentos, além de esclarecer quem pode procurar a Defensoria do Idoso, o que é preciso para ser atendido e como ocorre o atendimento.

O defensor Ali Assad destacou que, por conta da pandemia, o atendimento presencial passou a ser remoto por meio do telefone (92) 98436-0387 e aplicativo Telegram. “Mesmo com a pandemia continuamos atendendo, mas de forma remota. Qualquer pessoa, que tenha conhecimento sobre violações ao direito dos idosos pode procurar a Defensoria. Não precisa ser necessariamente o idoso que esteja sofrendo as violações, pode ser qualquer filho, qualquer parente, vizinho”, disse.

“A maior demanda que ocorre na Defensoria do Idoso, trata-se da divisão de cuidados com relação ao idoso. São famílias numerosas que possuem diversos irmãos e irmãs, entre outros parentes envolvidos, e que geralmente o idoso se encontra cuidado apenas por uma ou duas pessoas. Nesse sentido, a pessoa que está com todo o trabalho de cuidados procura a DPE visando que o referido trabalho seja distribuído entre os demais filhos ou parentes”, complementou.

Para o defensor Rodolfo Lobo, toda sociedade deve estar atenta ao que diz o Estatuto do Idoso em relação à obrigação da família, da comunidade, da sociedade e Poder Público em assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, saúde, alimentação, dignidade e ao respeito à convivência familiar e comunitária.

“Nossa intenção é ajudar com orientação jurídica e evitar que idosos sofram qualquer violação de direitos. O projeto Idoso Consciente tem esse intuito e precisamos cada vez mais promover iniciativas, como a parceria com a FUnATI, que tem um brilhante trabalho com os idosos, para que as necessidades e direitos deles sejam respeitados”, explicou.

A presidente do CEI-AM, Kennya Brito, ratificou a importância do fortalecimento entre instituições para a proteção aos direitos dos idosos. “A parceria com a Defensoria é muito positiva e esperamos sempre ter esse canal aberto porque entendemos que os resultados acontecem quando é feito um trabalho de proteção em rede que precisamos fazer conhecer para toda a população”, pontuou.

O reitor da FUnATI, Euler Ribeiro, ressaltou que todo cidadão precisa cuidar para que violações contra idosos não ocorram e “que as instituições que atuam para esse público têm papel fundamental em preparar a população para o envelhecimento”.

Categorias: NOTÍCIAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *