Novo prédio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária foi reformado com mão de obra carcerária, com economia de R$ 1,5 milhão

O defensor público geral do Estado em exercício, Thiago Nobre Rosas, ressaltou o papel fundamental dos agentes de transformação social no sistema carcerário, em discurso na inauguração da nova sede da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), nesta segunda-feira (26). Localizado na Avenida Torquato Tapajós, Colônia Terra Nova, Zona Norte de Manaus, o espaço passou por reparos e adequações em sua estrutura com a utilização da mão de obra de 20 internos do sistema prisional, por meio do programa de ressocialização “Trabalhando a Liberdade”, resultando em uma economia de mais de R$ 1,5 milhão para os cofres públicos.

Ao discursar como representante da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), o defensor geral em exercício citou o Papa Francisco, em uma fala do pontífice de 2018, em um presídio em Roma, dirigida à época aos agentes penitenciários e que serve para todos os que cuida de presos. “Sei que não é fácil, mas quando, além de serem guardiões da segurança, vocês são a presença próxima daqueles que caíram nas redes do mal, vocês se tornam construtores do futuro. Lançam as bases para uma convivência mais respeitosa e, portanto, para uma sociedade mais segura. Obrigado, porque ao fazer isso, vocês se tornam, dia após dia, artesãos da justiça e da esperança”, afirmou.

Thiago Nobre Rosas também ressaltou o trabalho conjunto entre Estado do Amazonas e de todas as instituições, como a própria Defensoria, “para fazer uma sociedade mais segura, mais justa, mais fraterna”. “E, dentro da Seap, é um caminho. Se a gente cuida bem, com justiça aqui, conseguimos mudar um pouco uma realidade, conseguimos dar sentido para alguém viver”, disse.

O defensor geral em exercício também destacou a importância de ações de ressocialização, como as do programa “Trabalhando a Liberdade”, pelo qual 20 presos participaram das obras da nova sede da Seap. “As pessoas que construíram esse prédio estão pagando as suas penas, mas não por isso deixarão de ter esperança. Não se enganem que essas pessoas presas não têm dificuldades, não têm problemas pessoais, traumas e estão incólumes. E se nós não cuidarmos, essas pessoas vão trazer uma sociedade muito pior no futuro”, acrescentou.

Para Thiago Nobre Rosas, o trabalho cria mecanismo de ressocialização. “Esses 20, tenho certeza, vão sair do sistema de uma outra forma. E aí nós ganhamos como sociedade, como coletividade, transcendemos nossa individualidade e fazemos o bem a todos os que estão a nossa volta”, concluiu.

Economia aos cofres públicos

Em seu discurso, o governador do Estado, Wilson Lima, destacou a economia gerada para os cofres públicos. “É um prédio que custou R$ 300 mil usando mão de obra de detentos que fazem parte desse programa de ressocialização. Quando fazemos isso, nós estamos não só economizando recurso público, mas também fazendo uma entrega para sociedade, porque esses presos, nesse processo de ressocialização, no momento em que saírem e que pagarem suas penas, começam a vislumbrar um novo horizonte de possibilidades em suas vidas”, afirmou o governador.

Com 1.800 metros quadrados, o novo espaço abriga 17 setores da secretaria, com capacidade para 150 servidores, além de um estacionamento com 60 vagas para carros, 10 para motocicletas e uma para Pessoa com Deficiência (PcD), com acesso por rampa. Entre os reparos feitos no prédio estão serviços de hidráulica, elétrica, revestimento, pintura, troca de móveis e equipamentos de climatização.

Segundo o governador Wilson Lima, o Amazonas hoje é referência para o Brasil no trabalho de ressocialização promovido pelo programa “Trabalhando a Liberdade”, em paralelo aos avanços em fiscalização, monitoramento e inteligência dentro do sistema prisional.

“Nós já temos alguns empreendimentos que funcionam no sistema prisional, como uma padaria, fábrica de chinelo, uma oficina de refrigeração, horta, e temos empresas que estão na fila para se instalar no sistema prisional e também para absorver essa mão de obra”, pontuou o governador.

Fotos: Diego Peres/Secom

Categorias: NOTÍCIAS