Atendimentos agendados para ocorrer na sede da instituição serão realizados de forma telepresencial nos próximos 15 dias

A partir desta quinta-feira (7), a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) vai suspender por 15 dias os atendimentos presenciais que estavam gradativamente sendo retomados em sua sede, na Avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus. A medida será adotada diante do anúncio feito pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) de que o estado entrou na “fase roxa” da pandemia de Covid-19, o que representa alto risco.

Os atendimentos que ocorreriam na sede da instituição, nos próximos 15 dias, foram automaticamente convertidos para o formato telepresencial, no mesmo dia em que haviam sido previamente agendados. Nesses casos, a pessoa será informada pelas equipes da Defensoria sobre como proceder para ser atendida.

Órgão responsável por prestar assistência jurídica gratuita à população, a DPE-AM chegava a receber mais de mil cidadãos por dia em suas unidades antes da pandemia. Em março, a Defensoria havia paralisado os atendimentos presenciais, passando a prestar seus serviços de forma virtual, mas vinha retomando gradualmente a recepção de assistidos na sede da instituição desde julho.

“Enquanto órgão que vem lutando pelo direito à vida e à saúde do povo em meio à pandemia, a Defensoria não poderia deixar sua sede se transformar em um possível foco de proliferação do coronavírus, colocando em risco a segurança de nossos assistidos e colaboradores”, comentou o defensor público geral do Amazonas, Ricardo Paiva.

Com a pandemia, as equipes da Defensoria passaram a atender também pelo aplicativo de troca de mensagens Telegram. Essa foi a melhor forma encontrada pela instituição para continuar levando os serviços à população durante a pandemia, segundo o defensor geral. Quem já tinha atendimento virtual marcado, via Telegram, não vai sofrer alteração no agendamento.

“Após adequar o formato às restrições impostas pelo coronavírus, a Defensoria quase dobrou o número de atendimentos. Em abril, segundo mês da quarentena, foram feitos pouco mais de 18 mil atendimentos. Já em setembro a quantidade saltou para mais de 35 mil. Uma alta de 90%. O número de novos atendimentos, especificamente, cresceu 8 vezes, saindo de 700 para 6.135 no comparativo dos dois meses”, destacou Ricardo Paiva.

Em caso de dúvidas sobre a suspensão ou necessidade de novo atendimento, o cidadão ou cidadã pode telefonar para o número 129. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 14h.

Categorias: NOTAS NOTÍCIAS